28.10.10

Brasucas figuram em lista de revista com maiores promessas do futebol


   A revista espanhola "Don Balon" elaborou uma lista com as 100 maiores promessas do futebol mundial e divulgou o resultado nesta quarta-feira. A publicação apontou apenas jogadores nascidos até 1989. Nomes aguardados como Paulo Henrique Ganso e Neymar, do Santos, Philippe Coutinho, do Inter de Milão, e Alexandre Pato, do Milan, figuram entre os destaques. Por outro lado, o atacante Alan Kardec, ex-Vasco e atualmente no Benfica, é uma das surpresas do top 100.
Além de Ganso, Neymar, Coutinho, Kardec e Pato, Giuliano, do Internacional, Rafael Silva, do Manchester United, Breno, do Bayern de Munique, Douglas Costa, do Shakhtar Donetsk, e Diego Renan, do Cruzeiro, também foram citados pela publicação. Dos dez brasucas, seis têm sido convocados constantemente pelo técnico da Seleção Brasileira, Mano Menezes.
Curiosamente, o volante Sandro, do Tottenham, que também tem sido chamado por Mano não foi citado na lista da "Don Balon".
Confira abaixo a lista completa:
Dominic Adiyiah (Gana/Reggina)
Toby Alderweireld (Bélgica/Ajax)
Hamdan Al Kamali (Emirados Árabes/Al-Wahda)
Jano Ananidze (Geórgia/Spartak Moscou)
André Ayew (Gana/Olympique de Marselha)
Khouma Babacar (Senegal/Fiorentina)
Holger Badstuber (Alemanha/Bayern de Munique)
Gareth Bale (País de Gales/Tottenham)
Mario Balotelli (Itália/Manchester City)
Ben Sahar (Israel/Hapoel Tel-Aviv)
Bojan Krkic (Espanha/Barcelona)
Kim Bo-Kyung (Coreia do Sul/Oita Trinita)
Ryad Boudebouz (França/Sochaux)
Dedryck Boyata (Bélgica/Manchester City)
Breno (Brasil/Bayern de Munique)Sergio Canales (Espanha/Real Madrid)
Mehdi Carcela-Gonzalez (Bélgica/Standard Liège)
Luc Castaignos (Holanda/Feyenoord)
Diego Contento (Alemanha/Bayern de Munique)
Phillippe Coutinho (Brasil/Internazionale)David de Gea (Espanha/Atlético de Madri)
Álvaro Domínguez (Espanha/Atlético de Madri)
Giovanni dos Santos (México/Tottenham)
Douglas Costa (Brasil/Shakhtar Donetsk)Alan Dzagoev (Rússia/CSKA Moscou)
Gueïda Fofana (França/Le Havre)
Paulo Henrique Ganso (Brasil/Santos)
Giuliano (Brasil/Internacional)
Maxime Gonalons (França/Lyon)
Mario Götze (Alemanha/Borussia Dortmund)
Antoine Griezmann (França/Real Sociedad)
Eden Hazard (Bélgica/Lille)
Jordan Henderson (Inglaterra/Sunderland)
Markus Henriksen (Noruega/Rosenborg)
Abel Hernández (Uruguai/Palermo)
Ander Herrera (Espanha/Zaragoza)
Lewis Holtby (Alemanha/Mainz)
James Rodríguez (Colômbia/Porto)
SteVan Jovetic (Montenegro/Fiorentina)
Vaclav Kadlec (República Tcheca/Sparta Praga)
Shinji Kagawa (Japão/Borussia Dortmund)
Gaël Kakuta (França/Chelsea)
Alan Kardec (Brasil/Benfica)Simon Kjaer (Dinamarca/Wolfsburg)
Maksym Koval (Ucrânia/Dínamo de Kiev)
Ismail Köybasi (Turquia/Besiktas)
Toni Kroos (Alemanha/Bayern de Munique)
Manuel Lanzini (Argentina/River Plate)
Adem Ljajic (Sérvia/Fiorentina)
Dejan Lovren (Croácia/Lyon)
Romelu Lukaku (Bélgica/Anderlecht)
Lukman Haruna (Nigéria/Monaco)
Federico Macheda (Itália/Manchester United)
Guido Marilungo (Itália/Sampdoria)
Marko Marin (Bósnia/Werder Bremen)
Emmanuel Mayuka (Zâmbia/Young Boys)
Thomas Müller (Alemanha/Bayern de Munique)
Iker Muniain (Espanha/Athletic Bilbao)
Marc Muniesa (Espanha/Barcelona)
Ezequiel Muñoz (Argentino/Palermo)
Yann M'Vila (França/Rennes)
Tomás Necid (República Tcheca/CSKA Moscou)
Neymar (Brasil/Santos)Sotiris Ninis (Albânia/Panathinaikos)
Nikolas N'Koulou (Camarões/Monaco)
Javier Pastore (Argentina/Palermo)
Alexandre Pato (Brasil/Milan)Pablo Piatti (Argentina/Almería)
Miralem Pjanic (Bósnia/Lyon)
Rafael (Brasil/Manchester United)Yaroslav Rakytskiy (Ucrânia/Shakhtar Donetsk)
Diego Renan (Brasil/Cruzeiro)Marco Reus (Alemanha/Borussia Mönchengladbach)
Emmanuel Rivière (França/Saint-Etienne)
Jack Rodwell (Inglaterra/Everton)
José Rondón (Venezuela/Málaga)
Véctor Ruiz (Espanha/Espanyol)
Mamadou Sakho (França/Paris Saint-German)
Davide Santon (Itália/Internazionale)
Georgy Schennikov (Rússia/CSKA Moskou)
Xherdan Shaqiri (Suíça/Basel)
Harmeet Singh (Noruega/Valerenga)
Moussa Sissoko (França/Toulouse)
Robin Söder (Suécia/IFK Göteborg)
Miroslav Stoch (Eslováquia/Fenerbahçe)
Yannis Tafer (França/Toulouse)
Thiago Alcântara (Espanha/Barcelona)
Lacina Traoré (Costa do Marfim/Cluj)
Ricky Vvn Wolfswinkel (Holanda/Utrecht)
Carlos Vela (México/Arsenal)
Jelle Vossen (Bélgica/Genk)
Ante Vukusic (Croácia/Hadjuk Split)
Theo Walcott (Inglaterra/Arsenal)
Vladimir Weiss (Eslováquia/Rangers)
Georginio Wijnaldum (Holanda/Feyenoord)
Jack Wilshere (Inglaterra/Arsenal)
Danny Wilson (Escócia/Liverpool)
Siyanda Xulu (África do Sul/Mamelodi Sundowns)
Andriy Yarmolenko (Ucrânia/Dínamo de Kiev)
Sercan Yildirim (Turquia/Bursaspor) 

20.10.10

Conmebol volta atrás, e G-3 do Brasileirão passa a ser outra vez G-4

   A Conmebol resolveu em reunião nesta segunda-feira devolver uma vaga brasileira na Taça Libertadores. Com isso, o quarto colocado do Brasileirão passa novamente a ter direito a uma lugar na principal competição do continente. A decisão foi tomada depois que a CBF reclamou a perda de um posto no torneio e teve a requisição avaliada nesta segunda.

   O imbróglio começou quando a Conmebol anunciou, há cerca de um mês, que o país do campeão da Libertadores teria uma vaga a menos na edição seguinte, por conta de o próprio campeão ser o ocupante deste posto. O que estava previamente acordado é que o país do vencedor da Copa Sul-Americana teria uma vaga a menos (dada a este campeão).

   Como o Internacional é o atual detentor do título da Libertadores, o Brasil perderia uma de suas vagas, mais especificamente a do quarto colocado do campeonato nacional.

   Mesmo com a decisão desta segunda, a hipótese de o G-4 voltar a virar G-3 ainda existe. Para isto, basta que algum clube brasileiro seja campeão da Copa Sul-Americana (Palmeiras, Atlético-MG, Goiás e Avaí seguem vivos na disputa).

   Se o Brasileirão terminasse hoje, o Atlético-PR, sexto colocado (46 pontos), seria o último classificado tupiniquim para a Libertadores 2011. Isto ocorre porque Santos (quarto) e Internacional (quinto) já têm suas vagas garantidas por serem, respectivamente, campeões da Copa do Brasil e da Libertadores 2010. Os outros três classificados seriam Cruzeiro, Fluminense e Corinthians (no momento, os três primeiros do Brasileirão).

   O retorno da quarta vaga vai esquentar ainda mais a reta final do Brasileiro. A oito rodadas do fim, seis clubes estão separados por cinco pontos e têm condições de brigar. São eles: Atlético-PR (46), Grêmio (46), Botafogo (45), São Paulo (44), Palmeiras (44) e Vasco (41).

16.10.10

Corintiano provoca vascaínos com gesto obsceno é da torcida do Fla

   Substituído no segundo tempo de Vasco 2 x 0 Corinthians, o atacante Souza deixava o gramado quando foi xingado pelos vascaínos. Provocação antiga, afinal, ele começou no Madureira, foi campeão carioca pelo time de São Januário (em 2003) e quando chegou ao Flamengo se declarou rubro-negro desde a infância. E não foi só.

   Souza caminhava em direção ao vestiário nas imediações do gol à direita das cabines de televisão quando começaram as provocações das arquibancadas. Então o jogador mostrou o dedo do meio, cruzou os punhos e voltou a exibir o dedo médio aos torcedores rivais.

   O punho cruzado nada mais é que o gesto da Torcida Jovem do Flamengo, rival maior da Força Jovem do Vasco, organizada vascaína que foi alvo do gesto feito pelo corintiano. Não é difícil concluir que ele acirrou os ânimos ao recordar os tempos em que jogava pelo time rubro-negro.

   No Flamengo, Souza comemorava seus gols cruzando os punhos, evidente referência à Jovem, cujos integrantes tinham boa relação com ele. Mas não é só. O gesto irrita os corintianos, pois também é adotado pelos componentes da Torcida Independente, a maior do São Paulo.

   Os tricolores mantêm antiga união com a Jovem do Flamengo, e adotaram os punhos cruzados, como fazem os integrantes da Jovem do Sport Recife e da Camisa 12, do Internacional. Há algum tempo a cruzeirense Máfia Azul também fazia parte desta "união".

   Pode parecer bobagem, mas é o tipo de atitude que apenas coloca gasolina na fogueira, acirra ânimos e multiplica os riscos de conflitos. E ainda pode deixar Souza mal com os corintianos, que não andam satisfeitos com ele desde que chegou ao Parque São Jorge.

8.10.10

O poder do patrocínio

   Economia no futebol. Nada estranho. Todo tempo vemos transações, esmpréstimos, vendas... mas poucos sabem o poder de um patrocínio.

   Milhões são ganhos e gastos todo ano por empresas que querem mostrar sua marca.

   Empresas grandes, pequenas, nacionais, regionais, públicas, privadas... Todas buscam um espaço em blusas e até shorts dos times de futebol.

   Umas são antigas e conhecidas como Unimed e Habib's. Outras são novas no setor e já investem em grandes times como o Banco BMG (Atlético MG, Cruzeiro, Flamengo e São Paulo), Neo Química (Botafogo, Corinthians e Goiás).

   Essas empresas apostam nas boas atuações dos times nos campeonatos, apostando na história e no retrospécto. LG, Tramontina e BR Petrobrás fizeram isso no São Paulo, Internacional e Flamengo, respectivamente.

   Mais de 72 milhões de reais foram investidos em patrocínio no Brasil duranto o ano de 2009, como foi publicado em um pequeno jornal do Rio, o Monitor Mercantil, pela própria CBF.

   Além de ajudar o clube, que no Brasil muitas vezes está afundado em dívidas, a marca do patrocinador deixa a camisa mais bonita.

   Alguns números do setor financeiro ligados a patrocínio:

» O lucro da CBF entre 2008 e 2009 mais do que dobrou: passou de 32 milhões de reais para 72,3 milhões de reais.

» O volume de patrocínios que a CBF recebeu (destinada somente a seleção) em 2009 foi de 164,9 milhões de reais. No ano anterior havia sido 104,7 milhões – um aumento de 60%. Nada como ano de Copa…

» Da Nike a CBF recebeu 59 milhões de reais. O Itaú pagou 33 milhões de reais à entridade. A Vivo, 30,9 milhões de reais. A AmBev investiu 19 milhões de reais na seleção e a TAM 7,2 milhões de reais. Pão de Açúcar, Procter&Gamble e Volkswagen gastaram menos: 3,2 milhões, 3,7 milhões e 2,7 milhões de reais, respectivamente. A Traffic, de J. Hávila, segundo o balanço da CBF, pagou 3,9 milhões de reais.

» A CBF arrecadou 29,5 milhões de reais como pagamento pelos amistosos que a seleção jogou.

» A Globo pagou 11,3 milhões pelos direitos de exclusividade dos jogos da seleção.

» As despesas da CBF subiram bastante entre 2008 e 2009: passaram de 66 milhões de reais para 84,8 milhões de reais.

#Dados de Lauro Jardim

6.10.10

Futebol Internacional: Bom ou ruim para os atletas?


   Pergunte a qualquer jogador atuando no Brasil o que ele mais deseja profissionalmente. Certamente dirá ser campeão em um grande clube e atuar na Europa. Até aí tudo bem. Mas e quando chegar ao velho continente, se chegar?

   Fama, dinheiro, mulheres, respeito e PERCA DA ORIGEM!

   Jogar na Europa não é fácil. Disso todo mundo sabe. É, muitas vezes, difícil se acostumar com o clima, companheiros e com o futebol.  Um futebol de primeiro mundo.

   Massa corporal? Obrigatória! Repetindo: O-B-R-I-G-A-T-Ó-R-I-A! Podemos tomar exemplo vários atletas: Robinho, Ronaldinho Gaúcho, Ronaldo em sua época de Barcelona, Kaká, Alexandre Pato... Esse último chegou a dizer que ganhou 7 KG desde que chegou ao Milan da Itália.

   Mais importante do que isso é o futebol. Um futebol com estilo e características totalmente diferentes do brasileiro. Nossos laterais? Lá viram muitas vezes meio campos. É o caso de Michel Bastos, Marcelo e Ilsinho, que, aliás, cumprem muito bem com essas funções. Michel Bastos chamou a atenção de Dunga com o seu estilo camisa 7 do Lyon. Não é difícil vê-lo fazendo seus golzinhos. 

   Laterais no Brasil se aventuram pelo ataque.

   Na Europa dão mais apoio ao meio e não chegam tanto ao ataque. Diego Renan, Mariano, Patric e Fágner não teriam, na Europa, essa liberdade toda que eles tem no Cruzeiro, Fluminense, Avaí e Vasco.

   Pior quando voltam. Futebol “Europeulizado” que não se encaixam nos times. Exemplos são Cicinho e Ilsinho do São Paulo. O segundo até consegue se salvar, jogando um pouco no meio. Já Cicinho deve uma atuação pífia na sua segunda passagem pelo tricolor, durante a Libertadores. Mas há sempre exceções como o velho e conhecido Roberto Carlos, que a cada jogo, sempre ajuda o Corinthians com suas atuações.

   Aí vem a pergunta: Em relação ao desenvolvimento em campo, a passagem para a Europa é bom ou ruim? Será que vale a pena?

Roda Roda Brasileirão

   Impressionante o que aconteceu até agora nas 27 rodadas do Brasileirão 2010. Em 23 rodadas, 27 técnicos demitidos. Na lista já apareceram técnicos respeitados, como Vanderlei Luxemburgo, Silas e Antônio Lopes. 

   Uns por desentendimentos com jogadores, como exemplo de Rogério Lourenço (ex-Fla) e Dorival Jr. (ex-Santos). Dorival que substituiu Luxemburgo no Atlético-MG, que substituiu Silas, no Flamengo, que provavelmente vai substituir Carpegiani no Atlético-PR, que substituiu Sérgio Baresi no São Paulo que ocupou o cargo que antes era de Ricardo Gomes. 

   Essa última situação foi inusitada. Segundo o presidente Juvenal Juvêncio, Baresi era técnico. Segundo o diretor de futebol, o Leco, Baresi era apenas técnico interino.

   O equilibrado campeonato nacional facilita o troca-troca de técnicos. 

   Antes da parada para a Copa 2010, Avaí e Ceará, ocupavam as primeiras posições da tabela. Ao contrário de Grêmio e Atlético-PR, que estavam dentro e próximo da zona de rebaixamento.

   Após a copa, Avaí e Ceará despencaram. O primeiro está a 1 ponto do Z-4. O Ceará está no meio da tabela. Ambos tiveram técnicos demitidos pós copa (Antonio Lopes pelo Avaí e Mario Sérgio pelo Ceará).

   Atlético-PR já sonha com a Libertadores. Está em 5°. Já o Grêmio tem a melhor campanha do segundo turno.

   Ruim para os técnicos, bom para os torcedores que tem um campeonato mais equilibrado e emocionante

5.10.10

Inter se destaca na lista IFFHS

   Após o título da Copa Libertadores, os torcedores do Internacional receberam um outro motivo para comemorar. Isto porque a Federação Internacional de História e Estatística do Futebol (IFFHS), divulgou a atualização mensal de seu ranking mundial de clubes e o Colorado pulou 21 posições, parando em oitavo lugar, o melhor entre os brasileiros da lista.


   O Colorado divide a posição  com o Estudiantes, da Argentina, coincidentemente os dois melhores times do continente americano na lista. A Internazionale, campeã da Liga dos Campeões da Europa, ocupa a primeira colocação, seguida pelo Barcelona, em segundo, e pelo Bayern de Munique, vice da competição europeia.

O Ranking Mundial de Clubes é feita baseado nos resultados nacionais e internacionais dos clubes durante o período de 12 meses. Confira os principais nomes da lista dos melhores clubes do mundo, divulgada pela IFFHS:

1º Internazionale - 300
2º Barcelona - 279
3º Bayern de Munique - 260
4º Chelsea - 232
5º Estudiantes - 231
6º Liverpool - 227
7º Atlético de Madri - 224
Internacional - 221
Anderlecht
10º Roma - 216

Outros brasileiros entre os 350 primeiros da lista:

2º Cruzeiro - 211
20º São Paulo – 197
26º Fluminense - 186
34º Corinthians - 179
47º Flamengo – 163
74º Santos – 134
132º Vitória – 110
136º Grêmio - 108
145º Palmeiras – 106
186º Botafogo – 104
222º Atlético-PR - 84
Goiás - 84
Avaí - 84
256º Atlético-MG - 78

Luxa volta ao Fla

   No seu primeiro treino no comando do Flamengo, Vanderlei Luxemburgo já tem de lidar com quatro desfalques. Jean, Ronaldo Angelim e Renato estão suspensos, Maldonado está com a seleção chilena. Ainda assim, ele promoveu mudanças em outras posições. No ataque, Diego Maurício ganhou a vaga de Diogo, uma das principais contratações de Zico para o Brasileiro. A equipe escalada por ele foi: Lomba, Leonardo Moura, Wellinton, David e Juan; Correa, Willians, Kléberson e Petkovic; Diego Maurício e Deivid.

   Logo que a bola rolou para o coletivo, ele já começou a cobrar dos jogadores. Deixou claro que não quer bola perdida e orientou especialmente os laterais Leonardo Moura e Juan. Deu atenção especial também às cobranças de escanteio, parando a atividade para posicionar, um por um, os jogadores.

   "Não pode dar mole assim no jogo, c... Chega junto!", gritava o técnico, antes de se voltar para Moura. "Desce aberto, não precisa de ultrapassagem. Toca no meio e desce aberto", orientou. Para Diego Maurício, o pedido foi de marcação na frente. "Vamos Diego, pega também".

   Já no final do treino, Luxemburgo mudou novamente a equipe titular e promoveu o retorno de Diogo. Encerrada a movimentação, o treinador fez um trabalho técnico, focado sobretudo no aprimoramento das finalizações.

   Luxemburgo assume o clube após a demissão de Silas, que obteve apenas uma vitória em dez jogos. A conversa começou no fim de semana e, na segunda-feira, tornou-se proposta oficial. A resposta positiva veio nesta terça pela manhã.

3.10.10

Alex marca, Chelsea vence o Arsenal e dispara na ponta do Inglês

   O Chelsea conseguiu mais uma vitória no Campeonato Inglês. A equipe venceu o clássico de Londres diante do Arsenal por 2 a 0, com dois bonitos gols de Didier Drogba e Alex, e ampliou sua vantagem na ponta da Premier League.

   Apesar de apenas dois gols no jogo, a partida foi excelente, com os dois times buscando o ataque e sempre levando perigo ao gol adversário, obrigando os dois goleiros a fazerem boas defesas.

   O primeiro gol do jogo foi em uma jogada belíssima de Drogba, que finalizou com muita categoria um cruzamento de Ramires, batendo de calcanhar na bola, quando já havia passado por ela. O segundo foi em uma falta muito bem cobrada pelo zagueiro Alex, que fez um golaço.

O jogo - O Arsenal, mesmo com desfalques, começou o jogo com tudo. Com menos de um minuto de jogo, duas grandes chances de gol. A primeira delas com Chamakh, que cabeceou, mas a bola foi para escanteio. Na cobrança, Squilacci perdeu uma cabeçada de dentro da pequena área, mandando por cima, livre.

   Bem no jogo, o Arsenal teve outra boa chance aos oito minutos. Arshavin recebeu em velocidade pela ponta esquerda, fintou Alex e bateu forte, mas Cech defendeu.

   O jogo era muito movimentado e os dois times chegavam muito e criavam chances de gol. Em uma delas, Essien quase marcou aos 18 minutos, depois de uma cobrança de escanteio de Drogba, mas a bola passou à direita do gol do Arsenal.

   Arshavin foi perigoso novamente aos 27 minutos, ao quase marcar um golaço. Ele recebeu na entrada da área, gingou na frente de Ivanovic e soltou a bomba, obrigando o Cech a fazer uma belíssima defesa. Em seguida, Nasri também chegou com perigo e bateu de pé esquerdo, mas a bola passou à direita da meta de Cech.

   Aos 34 minutos, Drogba recebeu pela direita em orifundidade e bateu de dentro da área para o gol. O arqueiro Fabianski conseguiu espalmar pela linha de fundo.

   O primeiro gol do jogo saiu aos 39 minutos. Ramires recebeu passe em profundidade pela esquerda e cruzou para Drogba. A bola veio um pouco atrás do marfinense, que se virou como podia e deu um lindíssimo toque de calcanhar, mandando a bola para as redes, depois de caprichosamente acertar a trave: 1 a 0.

   O segundo tempo começou tão movimentado quanto foi o primeiro, com as duas equipes buscando o ataque e o gol. O Arsenal, perdendo, tentava pressionar o rival, principalmente com cruzamentos na área.

   Em um lance inusitado, Diaby quase empatou o jogo aos 10 minutos. O francês fintou um adversário e chutou, mas a bola desviou em Ashley Cole e encobriu Petr Cech, mas acabou saindo pela linha de fundo.

   Dois minutos depois, Chamakh ficou de frente para o gol com Cech já batido, mas o brasileiro Ramires deu um carrinho perfeito, evitando o gol dos Gunners, que eram melhores no jogo.

   Anelka perdeu uma chance incrível aos 14 minutos. Ele roubou a bola do zagueiro do Arsenal e avançou livre em direção a Fabianski. Depois de driblar o goleiro e ficar com o gol aberto, ele bateu na rede pelo lado de fora.

   Aos 24 minutos, o Chelsea chegou a marcar com Ashley Cole, mas não valeu. O lateral recebeu em profundidade, mas o assistente assinalou impedimento e o tento foi anulado.

   O Arsenal quase chegou ao empate aos 35 minutos. Rosicky cruzou para a área e Chamakh subiu mais que a defesa adversária, mas acabou cabeceando pela linha de fundo, perdendo grande chance.

   O brasileiro Ramires foi substituído aos 37 minutos de jogo e foi muito aplaudido pela torcida local, por sua grande atuação no clássico. Foi aí que brilhou a estrela de outro brasileiro. Alex cobrou uma falta sofrida por Anelka com perfeição: uma bomba no ângulo, fazendo 2 a 0, aos 40 minutos do segundo tempo.

   No lance seguinte, Essien arrancou em contragolpe e quase marcou um belo gol, mas finalizou em cima de Fabianski, que fez outra boa defesa em chute de Cole, no final.

Carpegiani deixa o Atlético-PR para ser o novo técnico do São Paulo

   Depois de 14 jogos com Sérgio Baresi como interino, o São Paulo finalmente definiu o nome do novo técnico que assumirá o comando da equipe para as últimas rodadas do Brasileirão 2010. No começo da tarde, o Atlético-PR divulgou em seu site oficial que Paulo César Carpegiani deixou o time para assumir a equipe do Morumbi. Poucas horas depois, o São Paulo confirmou a contratação do treinador.

   Segundo a nota oficial divulgada pelo clube paranaense, Carpegiani pediu demissão por volta das 13h deste domingo depois de aceitar uma “proposta irrecusável” do São Paulo. O presidente do Atlético-PR, Marcus Malucelli, diz ainda esperar por um contato da diretoria são-paulina.

   O vice-presidente de futebol do São Paulo, Carlos Augusto de Barros e Silva, o Leco, confirmou a negociação. "Tínhamos feito um convite para ele e procede a informação de que fechamos. Mas não tenho mais detalhes agora, tudo será dito amanhã (segunda)", disse o dirigente antes mesmo da confirmação oficial.

   O último trabalho de Carpegiani no futebol paulista não foi bom, já que comandou o Corinthians durante a maior parte da campanha do rebaixamento no Campeonato Brasileiro de 2007. Porém, o trabalho do técnico no Atlético-PR chamou a atenção da diretoria são-paulina. O treinador assumiu o Furacão na penúltima colocação do Nacional, mas deixa agora no quinto lugar, com 42 pontos.

   Com a negociação confirmada, Paulo César Carpegiani, aos 61 anos, assumirá o comando do São Paulo pela segunda vez em sua carreira. Em 1999, ele dirigiu o time em 67 partidas, com retrospecto de 40 vitórias, nove empates e 18 derrotas. O contrato do treinador terá duração até o final de 2011.

   Nessa primeira passagem, o técnico criou polêmica com inovações na escalação, apostando em improvisações que não davam muito certo. Além disso, Carpegiani entrou em atrito com o então goleiro reserva Roger, por conta de um ensaio nu do jogador para uma revista.

   Agora, o técnico volta ao Morumbi para substituir o interino Sergio Baresi, que comandou o time durante 14 partidas, conquistando cinco vitórias, quatro empates e cinco derrotas. O São Paulo não tinha um treinador efetivo desde a saída de Ricardo Gomes, que não teve o contrato renovado após a eliminação na Copa Libertadores da América.